04

Invista em Títulos Públicos Federais

Desde 2002, o Governo Federal permitiu que as pessoas comprassem títulos públicos federais de forma direta, através de um agente credenciado, com um montante bastante modesto de apenas R$ 100,00. Sim, com este valor já é possível tornar-se investidor! Esta aplicação é chamada de Tesouro Direto e atualmente, já conta com 500 mil aplicadores em todo o Brasil, e cujo número, cresce mensalmente.

Em geral, 50% das compras são em montantes entre R$ 1 mil e R$ 3 mil. Portanto, não é necessário ter grandes volumes para aproveitar esta oportunidade. Hoje, a rentabilidade da aplicação é o dobro da caderneta de poupança.

O Tesouro Direto é sim, uma aplicação relativamente popular, podendo sim, conquistar investidores da tradicional caderneta de poupança. Mas necessita de conhecimento e treinamento.

O Tesouro Direto é a melhor aplicação em renda fixa existente no país. Ela é a mais rentável, com segurança e possibilidade de resgate de segunda a sexta-feira. Além disso, somente o Tesouro Direto oferece a possibilidade de comprar títulos de longo prazo, garantindo juros elevados por anos a fio, os quais são garantidos no momento da compra.

Desenvolvi o curso Como Aplicar em Títulos Públicos e Renda Fixa e o site Como Aplicar justamente para ensinar as pessoas como funcionam as aplicações em títulos, tendo em vista que é necessário treinamento e informação para tal.

Sou investidor desde 2003 e atualmente ministro cursos sobre o tema para pessoas leigas em finanças, das mais diferentes profissões e condições financeiras, em um curso de 8 horas de duração, onde se procura responder a cada pergunta dos participantes. A ideia é ser bem didático. Portanto, aí vão algumas dicas.

Há basicamente três tipos de títulos. O Tesouro SELIC (LFT) paga a taxa básica de juros, a chamada SELIC. São ideais para aplicações de curto prazo. O horizonte recomendado é acima de 2 anos, mas se a pessoa precisar sacar antes, não terá perda, porque os preços tendem somente a subir (chamamos de baixa volatilidade). São indispensáveis ter na carteira.

O Tesouro Prefixado (LTN) são papéis com taxa fixa desde o momento da compra. São usados em cenário de queda da taxa de juros ou inflação, e são comprados normalmente em um horizonte de 3 a 4 anos.

O Tesouro IPCA (NTN-B) é o terceiro tipo de papel. Eles pagam a inflação acrescida de uma taxa de juro anual fixa. São excelentes para se proteger da inflação e ainda, garantir uma aposentadoria. São recomendados para o longo prazo.

No Tesouro Direto não é preciso ser gênio das finanças nem ter muito tempo dedicado para isto. Com 3 tipos de papéis,  podemos compor diferentes carteiras que preenchem várias necessidades de investimento: montar faculdade de filhos, aposentadoria e aplicar a médio prazo. E não é preciso ficar checando dados todos os dias. No curso, debatemos diversas estratégias para cada perfil de investidor.

O Tesouro Direto é obtido através do cadastro em uma instituição financeira participante, um banco ou corretora. Porém, o conselho é que procure alguém que já seja investidor do Tesouro Direto (e que goste) para se sentir mais seguro e ter sempre uma opinião isenta sobre o tema.

Deixe sua resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *